Resenha - A Lógica Inexplicável da Minha Vida

Comentários


"À distância, é possível ver uma tempestade se formando: as nuvens escuras e os relâmpagos no horizonte vindo na minha direção. Eu espero, espero e espero pela tempestade. Quando ela chega, a água da chuva leva com ela os pesadelos e as lembranças. E eu não tenho medo."

E aí galerinha, tudo na boa?


Hoje estou aqui para falar um pouquinho de um livro que me marcou por inteira. "A lógica inexplicável da minha vida" veio na malinha de 1 ano do Turista Literário, e foi a minha segunda malinha. No momento em que eu abri a caixa eu me apaixonei pela capa, as cores são lindas. Quando eu li sobre o que a obra iria abordar eu decidi que eu precisava ler ele imediatamente. E amigos, que livro perfeito. De longe o melhor livro que eu li em 2017, e um dos melhores que já li na vida. Mas vem comigo e deixa eu falar um pouquinho sobre ele.

"Gravei parte da conversa sem ela saber. Assim sua voz nunca desapareceria."

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Salvador é um adolescente de 17 anos, que foi adotado pelo melhor amigo gay de sua falecida mãe. Sal perdeu a mãe ainda muito pequeno e não sabe absolutamente nada sobre seu pai biológico e não tem lembranças de sua mãe. Mas ele é imensamente feliz, além de ter uma pai extremamente incrível e amoroso, a vó Mima é aquela vovó que qualquer um iria amar ter. Resumindo, a relação que Sal tem com seu pai, avó e toda a sua família é de encher os olhos de amor em cada página que lemos. 


"Estradas são lisas e asfaltadas, e têm placas que dizem para que lado se deve seguir. A vida não é nada parecida com uma estrada."

Salvador ainda conta com a parceria de sua melhor amiga Sam e seu amigo Fito. Sam e Fito são totalmente o aposto de Sal. Ambos tem relações difíceis com as famílias, e cresceram tendo que se virar sozinhos, sem um lar com amor e amizade.  Sal e seu pai sempre estão presentes na vida dos dois jovens, tentando ao máximo fazerem eles felizes, e estando sempre por perto.


"eu quero viver na calmaria da luz da manhã"

Esse livro traz para o leitor uma mescla de sentimento, alegria, tristeza, medo, angústia, amizade, amor e luto. E o livro é tão intenso que o leitor acaba sentindo tudo isso de uma forma única. Tudo é palpável. Tudo é narrado do ponto de vista de Sal, o modo poético e simples de seus pensamentos, com dúvidas e medos faz com que o leitor se apegue profundamente aos personagens. Me sentia parte de história, parece que eu estava ali, presente e convivendo com todos eles.


"Talvez a vida fosse assim. Ir e voltar, depois acordar todas as manhãs e ir e voltar um pouco mais."

Salvador tem os mesmos medos que a maioria dos adolescentes à beira de escolher a faculdade sentem. O que fazer, como ir embora e deixar para trás tantas recordações? Além disso, Mima está morrendo. Um câncer a está corroendo e ele tem que lutar contra o medo de perder a tão amada vó, e esse foi o momento mais delicado para mim. Nunca me identifiquei tanto com um personagem como nesse momento. O que Sal sente por Mima é exatamente o amor que sinto pela minha vó, e o medo de um dia perdê-la se iguala ao medo de Sal. Me pegou totalmente desprevenida. Ver Sal ter a consciência que aquele seria o último dia de ação de graças que ele via Mima fazer as tão amadas tortilhas e que o natal seria o último ao lada da vó, foi tão emocionante pra mim que em certas passagens eu tive que parar de ler pois não aguentava mais chorar. Tudo lindo, emocionante e perfeito.


"Eu ainda não me sentia um homem. Eu me sentia um garotinho de cinco anos de idade que não queria fazer nada, a não ser brincar em uma pilha de folhas. Um garotinho de cinco anos com um coração egoísta que queria que sua avó vivesse para sempre."

Esse livro é aquele que tu vai aos dois extremos, a escrita de Bejamin Alire Sáez é impecável e conseguiu me envolver do início ao fim.

E foi lindo que durante os meus históricos de leitura no Skoob, várias pessoas ficaram interessadas e adquiriram o livro, muitas já finalizaram a leitura e favoritaram, me retornando e agradecendo pela indicação. Amo demais quando isso acontece.


"mas veja, não importa de onde eu venho, mas sim para onde eu vou.

Então já sabe, essa obra vale muito a pena. Super indico. E fiquei muito feliz em ter ela na mala do Turista Literário, pois ainda tenho itens lindos para me recordar todos os dias dessa história maravilhosa.  

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!