Resenha: A Travessia das Feiticeiras: a jornada iniciática de uma mulher, de Taisha Abelar

Comentários


Sabe porque amamos o Quatro Sentidos? Aqui você encontra de TUDO! O livro em pauta hoje é sobre misticismo. A Travessia das Feiticeiras é um ótimo livro pra quem acredita em energias e feitiçaria ou, assim como eu, é apenas um curioso que adora ler de tudo e que tem a mente aberta pra aceitar qualquer tipo de crença ou pelo menos refletir sobre elas. 

O livro é exatamente sobre o que o título fala: a iniciação de uma mulher no mundo da feitiçaria. Taisha é essa mulher, e é ela mesma que relata sua imersão nesse mundo mágico. A narração é incrível: fluida, leve, crível. Na maioria das vezes me peguei repetindo os movimentos de Taisha: exercícios de respiração, exercícios de recapitulação (falaremos sobre ele logo, logo), movimentos corporais em busca de energia. 


Ao fim do livro, você respira diferente, enxerga diferente, observa o mundo de um jeito diferente. Você se sente leve, liberto.


Nesse verdadeiro manual de feitiçaria, conhecemos as duas "facções" de feiticeiros mexicanos - Rastejadores e sonhadores - os rastejadores lidam com a consciência expandida por meio de objetos e comportamentos, enquanto os sonhadores lidam com o estado energético onírico.

No livro você conhece feiticeiros muito peculiares, cada um com um comportamento diferente e modos de ensinamento distintos, a mais incrível, na minha opinião, é Clara Grau, a primeira de todos os instrutores de Taisha, a energia que ela transmite no livro é incrível.


Clara vive com outros 16 feiticeiros numa casa no México. É pra lá que ela leva a nossa aprendiz. Taisha então descobre que o objetivo daquela casa é romper com as barreiras do cotidiano, do que nos aprisiona a este mundo, seja bom ou ruim, e abrir caminho para outros mundos perceptíveis.

Essa é a travessia, também chamada no livro como "voo abstrato", que é exatamente o voo energético da liberdade do mundo físico.

Uma das partes mais palpáveis é a recapitulação, que é um modo de reviver antigos ensinamentos ao longo da vida e apagá-los completamente, se libertando por meio da respiração daquilo que te prende na terra. Também conhecemos Manfred, o cão-feiticeiro que na verdade de cão não tem nada e o Nagual, líder do grupo. 



Enfim, é um bom livro pra quem quer conhecer o misticismo e pra quem também já é praticante desta filosofia, boas recomendações!

E aí, o que achou da nossa resenha? Conta pra gente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!