Resenha - Escuridão total, sem estrelas de Stephen King

Comentários


Todo mundo sabe qual é o território narrativo confortável de Stephen King, mas ninguém reclama dele publicar trocentas histórias sobre o tema: a obscuridade da alma humana quando pressionada a estados críticos.


Escuridão total, sem estrelas, publicado em 2015 pela Suma traz 4 contos que têm relação exatamente nesse aspecto: até que ponto uma pessoa boa e inocente é capaz de aguentar até se comportar de forma cruel e famigerada? O que é capaz de fazê-la atingir esse estado? Sede por vingança? Fome de justiça? É o que descobrimos ao longo de suas quase 400 páginas.




No primeiro conto, 1922, Wilfred, pai de Hank e marido de Arlette James, mata sua esposa sem piedade após recusar que seus hectares de terra sejam vendidos para uma companhia que quer construir um matadouro em sua propriedade. Por Arlette ser herdeira da maior parte dos hectares e querer morar na cidade grande, acaba não concordando com o marido em ficar. Hank presencia tudo o que o pai faz à sua mãe e o pior: a criança concorda e ajuda Wilfred a realizar o assassinato. Após tudo feito, Arlette é jogada no poço da fazenda (assim como em Eclipse Total), mas os efeitos daquela ação cruel acaba por vir e as coisas saem do controle aos poucos, levando todos os sonhos do pai e filho em pequenos fragmentos repletos de dor e desgraça.

Essa novela, repleta de detalhes e ramificações acaba por transportar o leitor à realidade das fazendas americanas do século XX, onde o que acontecia no campo, ficava no campo. Ah, ia me esquecendo, o livro tem muitas referências a Lovecraft com seu conto "os ratos na parede", um clássico que merece ser lido agora mesmo.


O segundo conto, meu favorito, é Gigante do Volante. Nele somos apresentados à escritora Tess (esqueci o nome completo dela), que após uma tarde de conversa e autógrafos numa biblioteca, acaba por pegar um atalho sugerido pela bibliotecária do lugar. Porém nesse local seu pneu acaba furando por pedaços de madeira jogadas na pista, e quem surge para ajudá-la? Exatamente, o Gigante do Volante, um homem imenso que a estupra e, imaginando que ela estaria morta, a joga num bueiro e foge. Felizmente, ou infelizmente, Tess sobrevive. Humilhada e destroçada, ela consegue chegar viva em casa, com a mente fervilhando de ódio e desespero pelas outras mulheres mortas que ela encontrou no bueiro.

É aí que nos vemos divididos junto com ela: chamar a polícia ou fazer o serviço com as próprias mãos? Pelo título do livro você já imagina por qual caminho ela seguiu, e as descobertas ao longo dessa via são terríveis. 



O terceiro conto é o mais curto e direto, Extensão Justa também te faz ficar em dúvida sobre sua própria capacidade de fazer o bem ao próximo. Dave Streeter passava por uma via deserta a caminho de casa quando fica curioso sobre um vendedor à beira da estrada que não tem nada à mostra em sua bancada. O vendedor diz negociar extensões, uma coisa inacreditável e incomum: ele é capaz de vender qualquer tipo de extensão: extensão de crédito, peniana, de vida... E é exatamente a última que Dave precisa. Ele tem câncer terminal e está com os dias na terra contados.

Para negociar, Dave deve entregar ao vendedor, anualmente, uma parcela do seu salário, mas além disso, deve escolher uma pessoa a qual odeia muito para sofrer em seu lugar. O homem pensa bastante até que decide fechar negócio, escolhendo seu "herdeiro maldito". Você seria capaz disso?

Por fim, King fecha com maestria ao contar a história Um Bom Casamento, nele conhecemos uma doce mulher, Darcy Anderson, que vive feliz com seu marido por mais de 20 anos e que criou muito bem seus filhos, que já vivem por si só e em ascensão. Mas quem iria imaginar que duas pilhas de controle-remoto acabariam com esse sonho?

Ao procurar por novas pilhas na garagem de casa, ela encontra muito mais que revistas de sadomasoquismo escondidas pelo seu marido, encontra, num fundo falso do chão, uma carteira de motorista, uma de biblioteca e outra de doadora de sangue de uma mulher desconhecida, até que ela lembra de alguns acontecimentos e tudo fica claro em sua mente.

Enfim, Escuridão Total, Sem Estrelas é aquele típico livro do King, cheio de detalhes, personagens fortes, pensamentos cruéis e desfechos inesperados. Pra quem é fã ou não, o livro é a pedida!

Com suas páginas de bordas pintadas de preto, esse é um livro lindo pra deixar na sua prateleira e fixar na sua mente. Corre e compra!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!