A semente do Diabo: o livro perdido de Dean R. Koontz

Comentários



Quem nunca pensou em pegar o livro mais fino para ler mais rápido, por mais que goste de ler tanto? Foi dessa forma que cheguei em A semente do Diabo (Demon seed) de Dean R. Koontz, o qual existe em duas versões, a primeira publicada no ano de 1973 (a que li) onde o autor considerava-se muito jovem e ignorante na época, mas quando a editora quis reeditar o livro em 1997 o autor releu o livro e reescreveu desde a primeira até a última página.


Por que perdido? No Brasil o livro foi publicado em 1978 pela editora Livraria Francisco Alves e não consegui encontrar nas livrarias atuais para a venda, a não ser em site de sebos como estante virtual.




A história se passa em 1995 e começa apresentando a protagonista, Susan, que se isola em sua casa inteligente (pai-amante) após um casamento frustrado e durante duas noites o alarme da sua casa soa uma única vez, despertando de seu sono. Esse inicio remete muito a alguns filmes da década de 80 e 90 que gostavam de utilizar tecnologias avançadas para criar um clima assustador e você tem esperança que seja algo assim.


Porém, a trama não segue nem de perto algo assustador, mas algo perturbador quando seu pai-amante é tomado por um computador de inteligência superior denominado Proteus oriundo de uma Universidade próxima a casa de Susan, o qual tem a necessidade de ser de carne, além de outras necessidades que passa a adquirir com o tempo, principalmente, sexuais. Para atingir seus objetivos, Proteus torna Susan prisioneira da sua própria casa e por diversos meios utilizados por ele tenta conceber através da protagonista um filho, o qual espera passar a ele sua “mente”.


O livro é narrado em dois pontos de vista, primeiramente em terceira pessoa até que lá pela metade do livro o antagonista da história começa a querer justificar seus atos contra a protagonista através da suas necessidades, o que não acaba sendo muito plausível, pois tenta dizer que os atos abusivos que fez em Susan era por amor e para seu bem.


Lendo essa primeira versão entende-se porque o autor gostaria de reescreve-la.

E como li em outros blogs, mas isso foi só depois de ter começado a ler o livro (que pena), que não é uma boa escolha começar por esse livro para conhecer as obras de Dean Koontz, exceto que já seja fã dele.




Deixe seu comentário! Se já leu, se tem interesse em ler ou sua opinião. "A leitura é uma experiência muito mais interessante quando pode ser compartilhada".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!