Resenha - Estação Onze

Comentários



E ai galerinha linda, como vocês estão?
Hoje estou aqui para fazer a resenha de um livro que gera algumas polêmicas entre os leitores.

Ganhei o livro da minha linda e querida amiga Gabriella de amigo secreto no meio do ano. Eu que pedi por esse livro, pois eu já tinha assistido a vídeos e resenhas falando que ele era ótimo. Quando comecei a leitura achei que eu estava lendo o livro errado, (hahahauhauh), comecei a procurar por outras resenhas e também a opinião das pessoas no Skoob e descobri que existem dois tipos de pessoas, as que adoraram e as que odiaram esse livro. Tristeza infinita.

Estação Onze era para ser um livro que ilustra uma história pós apocalíptica, porém o modo como o desenrolar acontece acarreta uma leitura presa e lenta. O início do livro é bem rápido, mas ao chegar na página 39 no capítulo II "Sonho de uma noite de verão" tudo fica lento e cansativo e depois disso meus queridos leitores, tudo só piora. Demorei semanas para conseguir finalizar a leitura. Os capítulos em que mostravam a "Sinfonia Intinerante" eram os mais arrastados.

Resultado de imagem para estação onze livro



A obra mostra o mundo em diversos momentos, antes de uma gripe mortal deixar o mundo um vazio, durante os acontecimentos e após a gripe. Existem diversos personagens que vem e vão, isso fez com que a leitura não andasse pra frente. Mesmo depois de 100 páginas, mesmo se acostumando com o personagem tudo parecia não engrenar.

Veja bem, a história tinha tudo para ser épica, talvez a escritora tivesse como objetivo fugir um pouco dos clichês das historias do "fim do mundo" e quisesse mostrar um lado diferente das coisas, o que não foi de todo ruim. O modo como as histórias de cada personagem iam se entrelaçando foi muito bom de ler, também um ponto alto foi acompanhar personagens de diferentes idades vivendo uma mesma tragédia. Existiam crianças que sobreviveram à gripe e nos tempos atuais eram adultos que não lembravam como o mundo era, e passavam os dias perguntando aos mais velhos como as coisas funcionavam. Isso foi muito bom de acompanhar durante a leitura, ver que coisas banais como acender a luz usando um interruptor pode se tornar apenas uma historia para fazer criança dormir. O que logo fica claro é que um único personagem liga todos os outros, e essa ligação vai até o final do livro. Inevitável você não acabar descobrindo o grande plot twist do livro. Como já mencionei, tudo é muito clichê.

O título "Estação Onze" é totalmente abstrato, não espere ler na obra uma estação onde as pessoas estão refugiadas, é algo totalmente fora do que você espera.

A capa e a edição estão muito bonitas, folhas amareladas e capítulos bem espaçados torna a leitura mais leve.  Intrínseca sabe como publicar um livro e fazer ele virar xodó para os leitores, isso não temos dúvida.

Se você curte leituras mais intensas, com vários personagens e mudanças de tempo vai curtir "Estação Onze". O livro realmente faz você pensar e raciocinar sobre os personagens e suas histórias. Cada personagem mostrando de um jeito diferente o quanto somos superficiais e que na vida o que importa é o modo como você vive, as historias que você leva na mala e quem você levaria com você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!