Resenha - Dez Coisas que Aprendi Sobre o Amor

Comentários




“Você não pode sentir saudades de alguém que nunca conheceu. Mas sinto saudade de você.”

Olá amigos leitores, tudo certo?

Hoje estou aqui para falar sobre o livro “Dez coisas que aprendi sobre o amor”.
Ganhei o livro de natal da Luiza, eu tinha acompanhado a divulgação da Novo Conceito em cima desse livro e tudo nele me interessou. A capa é uma das mais lindas que eu tenho na estante, o título me fisgou na hora e a sinopse me chamou muita atenção.

Tive muitos livros na fila até enfim poder iniciar a leitura desse livro, comecei lendo essa obra com muita vontade e acabou que não era o que eu imaginava. Mas vamos falar um pouco mais sobre isso?

“Uma vez que tenha me apaixonada, acho que impossível me desapaixonar, aprendi isso sobre mim mesmo.”




O livro é narrado por duas pessoas. Alicia sempre foi a filha diferente, a filha que chegou e mudou completamente a vida de toda a família. Ela sempre se sentiu excluída das outras irmãs e culpada pela morte da mãe. Mas nunca conseguia entender porque era tão diferente.

Daniel é um homem que vive nas ruas levando consigo a saudade de alguém que nunca conheceu. Vaga pelas ruas, dormindo em abrigos para moradores de rua, comendo pouco e com a saúde péssima. Sabe que não irá viver muito, mas não pode morrer antes de realizar o seu sonho. Nunca perdeu as esperanças.

“Você alguma vez discutiu com uma pessoa que... sei lá, se foi? E quando você pensa nisso, percebe que nunca fez nada além de discutir com ela. Ou que nunca disse o que realmente importava. Não de verdade. E daí ela se vai e não há nada que você possa fazer, sabe?”

Os capítulos do livro são intercalados entre Daniel e Alicia. Confesso que demorei certo tempo para entender a dinâmica da narração, o que me dificultou um pouco no início da leitura. 

Alicia é uma mulher bem confusa, guarda os sentimentos só para ela, não é de conversar muito, ou seja, ela é extremamente fechada. Não consegui simpatizar com a personagem, o que foi totalmente ao contrário em relação a Daniel. Sabia que o personagem guardava muitos segredos e que era um lutador, mesmo estando no estado em que estava Daniel tinha um foco, tinha um sonho maior. E isso fez com que eu gostasse muito do personagem. Gostei muito mais da história de vida de Daniel, logo os capítulos narrados por ele fluem muito bem.

A grande sacada do livro você acaba descobrindo rapidamente e sem grandes dificuldades, você sabe tudo o que acontece no final antes mesmo de chegar à metade da obra. Talvez esse tenha sido o motivo pelo qual não consegui me apaixonar pela história.

O meu ponto favorito da história são os inícios dos capítulos, a lista das dez coisas. Cada capítulo é uma lista diferente de acordo com o personagem, por exemplo:

“Dez maneiras como as outras pessoas podem me descrever”,
“Dez coisas que descobri que evocam seu nome”,
“Dez lugares onde passei a noite.”


No mais o livro todo é um bom passatempo, infelizmente não foi uma história que me prendeu, mas o modo como os personagens se entrelaçam é lindo e vale a leitura.

Quem já leu esse livro, o que achou?
Conta pra gente J

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!