Resenha - Serial Killers: Anatomia do Mal

Comentários




“De todas as criaturas já feitas, o homem é a mais detestável. De toda a criação, ele é o único, o único que possui malícia. São os mais básicos de todos os instintos, paixões, vícios – os mais detestáveis. Ele é a única criatura que causa dor por esporte, com consciência de que isso é dor”.
-Mark Twain

Olá galerinha, tudo na boa?
Hoje venho aqui para mais uma resenha sobre serial killers, dessa vez entrei na mente psicopata desses monstros que apavoram a população.
Então senta aí, e prepara que vem tensão:

Lembrando que esse livro não é indicado para menores de 18 anos.

O livro Serial Killers Anatomia do Mal é um dossiê definitivo sobre assassinos em série, extremamente completo e cheio de detalhes, ele é uma peça fundamental na estante de quem gosta desse assunto.

Nessa edição temos 9 capítulos, e todos com subcapítulos, e isso  nos surpreende com um conteúdo incrível onde praticamente toda a curiosidade sobre o tema são respondidas de forma detalhada. Entramos realmente na mente dos assassinos em série, não só daqueles que são famosos como o caso de Jack, o estripador, mas também dos que pouco ouvimos falar, além de trazer assassinos de séculos passados, mostrando que por mais que a palavra “serial killer” seja usada na modernidade, os assassinos em série já matavam muito antes desse termo ser usado.





Para quem acha que o livro só traz relatos de casos e foca somente na forma que os psicopatas matam está totalmente enganado, só para ter uma ideia a bibliografia para esse livro ser feito é composto por mais de 100 livros.

Vamos falar um pouco sobre os capítulos:

Entramos totalmente na mente insana dessas pessoas, o capitulo 1 nos traz a origem do termo, categorias de assassinato, a diferença entre psicopata x psicóticos entre outros termos importantes para o início da compreensão desse mundo.


Já no capítulo 2, somos apresentados principalmente às características dos serial killers, os sinais de perigo, a diferença entre assassinos homens, mulheres, homossexuais, jovens, idosos, entre outros tipos.

Já no capítulo 3 retrocedemos no tempo e conhecemos os serial killers do passado.

O capítulo 4 e 5 são os mais perturbadores, onde realmente sabemos em detalhes os modos que os assassinos matam e o porquê eles matam. Até hoje nunca teve um “porquê” definido, mas uma coisa é certa, todos os serial killers tiveram uma infância perturbada, sendo espancados, abandonados, abusados e outras formas de danos físicos e psicológicos. Esses danos fazem com que essas pessoas sejam incapazes de sentir qualquer coisa parecida com amor de verdade e isso os leva a cometerem atrocidades inimagináveis, e o pior, sem sentir um pingo de remorso depois. Com isso eles colocam em práticas suas fantasias mais obscuras como sadismo, vampirismo, fetichismos e outros.

No capítulo 6 temos “O mal em ação”, e somos apresentados aos fatores desencadeantes, áreas de caça, presa, e tudo o que envolve armadilhas, os métodos e até os troféus que os assassinos colecionam. 


O capitulo 7 traz a “Galeria do mal: 10 monstros americanos” onde consta uma lista dos 10 piores assassinos dos EUA, em folhas pretas e com uma foto dos serial killers temos relatos impecáveis da infância, datas, quantidade de vítimas e o fim que levou o assassino.

O capítulo 8 tem como título “Como termina” e nele ficamos sabendo um pouco sobre o trabalho dos especialistas forenses que fazem os perfis criminais, a captura, os videntes, ficamos sabendo também de casos em que o assassino cometeu suicídio, as punições, e também os casos sem solução – que são mistérios até hoje.

E por fim, mas não menos importante temos o capítulo 9 – “O serial killer na cultura pop”, nele temos uma lista onde o tema serial killer é abordado na nossa cultura, arte, música, literatura, filmes, séries e humor. Além de pontos turísticos, ou seja, as casas onde alguns assassinos usavam para as suas atrocidades.

Além de tudo isso temos 34 relatos de caso, que nos mostra na “prática” tudo o que está sendo abordado nos capítulos.

Nesse livro fica claro o quanto o público gosta e se interessa por histórias sangrentas, e isso não é de hoje, é algo que faz parte da humanidade há décadas. Podemos ver isso na longa lista de filmes e séries que hoje em dia fazem sucesso com esse tema.

A editora DarkSide trouxe para o leitor um livro completo e recheado de ilustrações, nas páginas onde temos os relatos de caso temos na borda a faixa amarela utilizada nas cenas de crime. Temos também o privilégio de ver uma história real adaptada e desenhada por Joe Coleman, o artista associado ao movimento “marginal”. E claro que não poderia deixar de falar da arte da capa dura e da faixinha amarela que acompanha o livro. Tudo isso deixa a leitura impecável, DarkSide mais uma vez nos surpreendendo com um livro maravilhoso.

E você? Já leu esse livro? O que achou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!