4Sentidos no Rock in Rio 2015

Comentários





Olá galerinha, quanto tempo!
Estão curtindo a cara nova do blog? Lindão né?
Muitas novidades vêm por aí, aguardem ;)

E depois de grandes shows, muita música e festa, o Rock in Rio chegou ao fim na noite do dia 27 de setembro. E eu tive a oportunidade de estar no dia 26 para o show da Rihanna linda diva maravilhosa. Então resolvi fazer um post sobre esse festival, que hoje é o maior festival de música do mundo, e contar para vocês minha experiência, pontos positivos e negativos.
Vamos lá?



O meio de locomoção para chegar ao parque era somente de ônibus, e você tinha duas opções:

Ônibus 1ª classe: o valor era de R$70,00, você comprava o ingresso e escolhia a hora e o local mais próximo de você para chegar até a cidade do Rock.
Ônibus convencional: Você precisava chegar até o Terminal Alvorada, e de lá pegava um ônibus que te levava até a cidade do Rock, com um valor de R$7,80 ida e volta.

 http://media.viajenaviagem.com.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2011/09/rock-in-rio-fila-abre.jpg

Escolhemos a segunda opção, mesmo com medo de ser um tumulto a volta, resolvi que iria correr o risco. E acabei me surpreendendo, eu estava hospedada no centro, peguei um metrô e um ônibus para chegar ao Terminal Alvorada, mas foi tranquilo, sem trânsito e sem tumulto. Chegando ao Terminal, tinha muitas gente pegando os ônibus, mas em momento algum ficamos parados na fila para entrar no ônibus, pelo contrário, a fila andava rapidamente e em menos de 10min já estávamos a caminho da Cidade do Rock. A volta foi o mesmo esquema, mais de 80mil pessoas, e não demoramos mais de 15min para entrar no ônibus. Ponto positivo para organização, já fui em festivais bem menores onde pegar o ônibus foi um caos.


http://nossobairro.net/wp-content/uploads/2015/09/IMG_6859.jpg
  
Chegamos ao portão às 13h e tivemos que esperar até as 14h para  enfim abrir. E aí foi a etapa mais demorada, pois acontecia a revista das mochilas, e como a grande maioria estava com comida, água e objetos pessoais, a fila para revistar as bolsas foi cansativa. Foi quase 1h de espera pra enfim entrar definitivamente no festival. E quando os portões abriram foi uma correria sem fim, quem não tinha mochila saiu correndo para agendar brinquedos e ficar no melhor lugar no palco mundo. esse dia foi loco.

http://festivalando.com.br/root/wp-content/uploads/2015/09/hickduarte_ihateflash.jpg

Quando entramos fomos surpreendidos com uma estrutura linda, o Palco Mundo estava fantástico, maravilhoso e bem estruturado, assim como os demais palcos. A parte da alimentação também estava muito boa, apesar de achar que tinha poucas variedades. A rede de fast food Bob’s dominou grande parte – e quando eu digo grande parte é realmente grande parte mesmo - o que foi ótimo para evitar filas enormes na hora de comer.

http://blog.hotelurbano.com/wp-content/uploads/palco-mundo-noite.jpg

As atrações, como roda-gigante, tirolesa, montanha-russa e x-treme foram alvos das maiores críticas, esse ano você deveria agendar a hora de usar os brinquedos por um aplicativo nos smartphones, mas o aplicativo não estava funcionando como deveria então você tinha que pegar uma fila para agendar, e depois outra fila para usar o brinquedo, já que muita gente reclamou que por mais que estivesse agendado para um determinado horário, estava com atrasos, ou seja, fila atrás de fila. Eu particularmente preferi não me preocupar com isso, então não fui a nenhuma dessas atrações. na próxima eu vou.


http://www.cult22.com/blog/wp-content/uploads/2015/09/Tirolesa.jpg

Como eu já escrevi aqui, você deve estar pensando “mas é fila pra tudo?”, imagine só 85mil pessoas querendo comer, beber, tirar foto... sim é fila pra tudo, mas infelizmente não vejo como isso poderia ser mudado, é muitaaa gente em um lugar querendo fazer as mesmas coisas, infelizmente tem que ter paciência e levar na diversão.
Não tivemos problemas em comer, sentar ou nos divertir, quanto a isso foi tudo muito bom.

Nesse dia, no Palco Mundo tivemos as seguintes atrações:

19h – Lulu Santos
21h – Sheppard
22:30 – Sam Smith
00:15 – Rihanna

Exatamente às 19h o show do Lulu Santos começou, e terminou exatamente às 20h. O show do brasileiro animou a galera, cantou seus principais hits como “Como uma onda”, “Sereia” e “De repente, California”. Teve até uma pequena participação do Catra.
O ruim mesmo estava o som do microfone do Lulu, não sei porque mas ninguém entendia nada que ele cantava, ouvi muita gente reclamando do volume do microfone de outros shows, e realmente no caso do Lulu Santos o microfone estava bem ruizinho, mas o show dele foi muito bom e passou voando.

http://imguol.com/c/entretenimento/6a/2015/09/26/26set2015---lulu-santos-canta-com-mr-catra-no-sexto-dia-do-rock-in-rio-2015-1443310275157_956x500.jpg

Depois foi a vez da banda australiana Sheppard. O cantor George deu início ao show saltando da tirolesa, uma surpresa enorme para todos que estavam na plateia. O carisma, simpatia e um pop gostosinho de ouvir foi o grande diferencial da banda. Nos vocais os irmãos George e Amy Sheppard encantaram a todos com suas vozes e o jeitinho romântico das músicas.

http://www.jb.com.br/media/fotos/2015/09/26/900x510both/SheppardFotViniciusP_Z7O2074.jpg

Logo depois foi a vez do aclamado Sam Smith. Gente para tudo, que voz é essa? O cara parece que canta sem fazer esforço nenhum, parece algo tão simples e fácil que chegou arrepiar quem estava ouvindo. Depois desse show lindo, romântico e inesquecível eu virei fã dele. Simpático, Smith falou várias vezes com o publico, explicou que seu primeiro álbum foi baseado em o quanto o seu coração foi partido pelo ex e que agora ele não se abala mais, sério, lindo lindo e lindo. Se tiver um tempinho, assista o show online.

http://ejesa.statig.com.br/bancodeimagens/3z/wa/38/3zwa38oys2fpa131x801zcmte.jpg


E depois, de mais de 9h em pé, suando, com sede, cansada, com as costas e os pés em trapos, foi a vez dela, Rihanna.
Gente, socorro, ver ela pertinho foi uma sensação única. Você deve ter lido que muita gente não curtiu porque ela cantou vários hits pela metade, e que o show não foi uma mega produção. Ok gente, ela não está em turnê desde 2013, então eu realmente não esperava algo estrondoso no quesito roupa e efeitos. Mas mesmo assim, ela cantou músicas que eu nem sonhava que ela cantaria, e foi um bombardeio de uma atrás da outra, chegava momentos que não consiga mais nem cantar. Sim, a emoção invadiu. Me julguem.

Rih cantou, rebolou, pulou e mostrou do que ela é capaz. O momento “love acústico" quando ela cantou  “Unfaithful”, “Love the Way You Lie”, “Take a Bow” e “Cold Case” foi de tremer a estrutura. Foi um sonho realizado, foi um show maravilhoso.

http://mdemulher.abril.com.br/sites/mdemulher/files/styles/retangular_horizontal_2/public/core/roupa-da-rihanna-rock-in-rio.jpg?itok=6v1_JprX

Único ponto negativo em relação aos shows principais foi a água. Depois que terminou o show do Lulu Santos, os ambulantes que vendiam água não conseguiam mais chegar à parte da frente onde estávamos. Ou seja, a desidratação pegou forte em alguns momentos. Mas tirando isso, o palco mundo foi incrível e valeu a pena cada segundo.

Depois foi a hora de apreciar o show de fogos que finalizou a noite com chave de ouro.

Se valeu a pena? Valeu.
Vale muito a pena, e os momentos que achei que seriam estressantes, como a ida e volta nem existiram.
Organização maravilhosa.

Contando os dias para o Rock in Rio 2017 e na esperança que a próxima seja a Pink. <3

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!