Cinema 4S - Southpaw - Nocaute

Comentários


"Vamos pra casa?" Nocaute, o filme que mostra à academia que Jake Gyllenhal é o melhor ator da atualiadade.




Southpaw (Canhota), 124 minutos, é um filme de Antoine Fuqua (Dia de Treinamento), protagonizado por Jake Gyllenhal (O Abutre), Rachel McAdams (Sherlock Holmes), Forest Whitaker (O Último rei da Escócia) e 50 cent (Nine Bullets in my Nanys House). O Filme mostra a história do boxeador Billy Hope (Jake) do auge até o fundo do poço. Um filme com orçamento modesto e um roteiro simples, mas que tem nas atuações seu maior trunfo.  


Há quem diga que o MMA seja um esporte violento. Ele pode realmente acabar mal, mas com a inserção do jiu-jistu, boa parte das lutas acabam em finalizações. O Boxe não é assim. No Boxe você levanta, bate, apanha, bate, se defende, bate, e a menos que você seja nocauteado, a luta vai durar mais 11 rounds. 

O Boxe é um esporte extremo, ali é muito comum vermos lutadores parcialmente surdos, cegos, com problemas cognitivos, inclusive existe um tipo específico de demência para os boxeadores. 

Com todos esses problemas o que leva alguém para um ring? A necessidade. Dinheiro? Talvez, Floyd Mayweather está ai para mostrar que o Boxe paga realmente bem ao seus campeões. Mas em geral eles precisam lutar para não explodirem. Um pugilista é quase que inevitavelmente uma pessoa prestes a explodir. Os treinos diários, corrida, corda, saco, punchingball, são apenas para que o corpo do atleta consiga lembrar o que fazer na hora da luta. Porque lá em cima ninguém pensa. Só explosão. A luta não causa dor, a dor vem depois. Os machucados, ferimentos tudo só vai doer depois, lá em cima eles são irrelevantes.   


E é prestes a explodir que nosso protagonista vive boa parte do filme. Com acessos de raiva dignos de Jake Lammota, ele vai afastando tudo de perto, pelo simples fato de não conseguir se controlar. 

O roteiro falha várias vezes em não conseguir fugir dos clichês do treinador linha-dura, da tragédia, do vilão e da revanche, mas honestamente, isso não chega a incomodar. A Atuação de Jake é tão absurda, seu preparo físico desde o Abutre, onde ele estava à beira da desnutrição, até aqui onde ele está trincado de raiva. Provavelmente não será com esse filme, mas Gyllenhal está nessa onda de atuação assustadora desde o fracasso do Príncipe da Pérsia. Falar sobre as atuações de 50 cent ou de Forest se torna difícil, uma vez que Jake engole o filme. 

O roteiro se faz bem na relação entre nosso protagonista e sua filha, tentando mostrar os laços partidos, e a instabilidade que circunda o boxeador.  


Com 3 ovos no omelete,  59% no Rottentomatos e 77 no IMDB, Nocaute é um filme para os fãs do esporte, porque provavelmente quem não gosta ou conhece boxe não vai ter a paciência pra entender a jornada deste herói. Jake Gyllenhal agora só precisa de um roteiro mediano, uma direção firme, que o Oscar estará ali a sua espera.

A coluna "100 Filmes que formam um Cinéfilo", estreia semana que vem, o que é bem interessante uma vez que a estreia da próxima semana é com a minha amiga Lari tocando a continuação de Maze Runner: Prova de Fogo. 

Mas para os mais saudosistas semana que vem eu abro com um clássico, e na minha humilde opinião um dos 5 melhores filmes que eu já vi. Até semana que vem!

Críticas, sugestões e comentários são muito bem vindos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!