Cinema 4S - Snowpiercer: O expresso do Amanhã

Comentários



"Você viu como as pessoas são sem liderança. Elas devoram umas as outras." O que acontece se colocarmos A revolução dos bichos no século XXI?


Snowpiercer (O expresso do Amanhã), é um filme pós-apocalíptico, baseado numa HQ francesa, dirigido pelo sul-coreano Joon-ho Bong (O Hospedeiro), protagonizado por Chris Evans (Capitão América), Ed Harris (O Show de Truman), John Hurt (1984). Geralmente essa citação do elenco com outros filmes que eles fizeram é meramente ilustrativa. Mas não hoje. John Hurt de 1984 e Ed Harris de O Show de Truman praticamente estão reprisando seus papéis.  
Antes de nos envolvermos no enredo vale a pena falar sobre a conturbada chegada no Ocidente de Snowpiercer. O filme foi filmado em 2012, sendo assim comprado por uma empresa asiática, que o picotou e guardou no bolso para só em 2014 colocar o filme no mercado americano. Quanto a nós, o filme chega agora em pleno 2015, 3 anos após ser terminado. Isso deixou o filme datado? Nem por um segundo. 
O Expresso do Amanhã trata sobre um trem que leva os últimos sobreviventes desse mundo pós apocalíptico. Um mundo congelado, onde tudo que restou está ali dentro dos vagões. E é aqui que começo com a minha analogia a "Revolução dos Bichos". Nos vagões, as classes socias são também representadas. Os pobres ficam no último vagão do trem (ou a cauda). À sua frente o vagão dos presos, da segurança, escola, bares e todos os outros vagões que mostram a pirâmide social estabelecida. Nosso protagonista Curtis (Chris Evans), lidera o grupo que almeja sair dali e mudar de vagão, literalmente avançando socialmente. 
O filme não enrola e seus 126 minutos mostram muita ação e desenrolar de tramas. A atuação de Evans me deixou com medo, mas o filme deixa claro que ele tem sim carga para ser um ator dramático.O filme é bruto e cruel em várias partes, desde o seu final abrupto, até as revelações que se seguem. Muitas das cenas do filme devem ser avaliadas de outro ângulo, buscando as metáforas. Como citado pelo crítico do Omelete, Marcelo Hessel, umas das cenas que mostra como o filme, assim como "A Revolução dos Bichos", é apenas uma grande Fábula. Aqui os personagens são humanos e não animais, mas todas as interações podem ser transpostas para uma esfera socio-economia.  
A cena em questão é a que a mulher negra e o homem ruivo estão procurando por seus filhos raptados no vagão escola. Ali eles avistam duas crianças; uma negra e outra ruiva. Se aproximando rapidamente eles notam que não são os seus filhos. Uma cena rápida e fácil. Mas por trás dela a toda a discussão de classe, do oprimido e do opressor. Nos colocando no lugar da classe baixa vemos tudo a cima. O asco o nojo das classes superiores, até o momento que alguém de baixo sobe. Nesse instante não há mais diferença entre o oprimido e o opressor. Nesse instante se nota que a diferença não é a cor da pele, da religião ou da sexualidade. Todos somos iguais. O que muda é apenas o modo como se enxerga os outros ao seu redor. E não dando spoilers, essa cena tem uma grande repercussão quando Evans encontra Ed Harris. 
Várias são as metáforas apresentadas no filme, das armas sem balas, das drogas e sua real função na sociedade. Esse é um longa que mostra muito para os que estão dispostos a ver. Quem for para ver um filme de ação também vai sair feliz. Snowpiercer de 2014 tem 95% no Rotten Tomatos, 7.4 no IMDB e 4 ovos no Omelete. Sem dúvida alguma esse filme é a melhor opção nos cinemas dessa semana. Nas próximas semanas estarei começando um projeto novo aqui no 4sentidos, focado nos 100 filmes obrigatórios para uma pessoa morrer feliz. Ou seja nos encontraremos em dobro. Dúvidas, sugestões e críticas são sempre bem-vindas e sintam-se a vontade para comentar a minha opinião. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!