Resenha - Quem é você Alasca?

Comentários



"Se pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão"
















O que falar desse livro? Ainda estou um pouco sem ar e com saudades do Gordo, do Coronel e da Alasca.
Nas redes sociais publiquei dizendo que foi a minha segunda melhor leitura até agora em 2015  (a melhor foi Caixa de Pássaros), e sério, merece muito o posto de 2º lugar. 
O livro começa num ritmo, acelera, passa para a 5ª e só vai, a cada página virada a história fica melhor, de longe o melhor livro do John Green. (Falta eu ler O Teorema, veremos se consegue ser melhor que a história de Alasca - o que eu duvido muito).

Preparados?

Vamos lá então...


O livro conta a história de Miles, um garoto que não tem muitas aventuras para contar, sozinho, sem grandes amigos e sem muita personalidade.
Miles é viciado em ler biografias de pessoas famosas já mortas, para ficar sabendo as suas ultimas palavras, ele sabe as ultimas palavras de muita gente, muita gente mesmo, e então ele resolve mudar de vida para ir atrás do seu Grande Talvez. Resolve ir para o colégio interno onde seu pai estudou para tentar mudar, para ser alguém.

Chegando no colégio interno, ele conhece seu colega de quarto, o Chip - mais conhecido como Coronel.

" Depois da ducha, abri a porta do banheiro, com uma toalha enrolada na cintura, e vi um rapaz baixinho e musculoso com um emaranhado de cabelos castanhos [...] Bonito, pensei, vou conhecer meu companheiro de quarto, pelado."

 Coronel é totalmente o oposto de Miles, sem medo de ser feliz e com uma personalidade forte, Coronel apresenta a escola e os amigos para Miles, e que claro acabou ganhando um apelido também, Miles vira o Gordo.

 " -E não me chame de Chip. É Coronel.
Eu segurei a minha risada. -Coronel?
-É. Coronel. E seu apelido vai ser... hmmm...Gordo.
-Gordo?
-Gordo. Porque você é magricela. Isso se chama ironia."

Gordo então é apresentado a Alasca.
Alasca tem personalidade, acho que é uma das personagens mais autêntica que eu já tive o prazer em ler - os fãs que me desculpem mais Taylor Swift ser a Alasca? Acho que não combina :( - Alasca é forte, intrigante, misteriosa, amiga, direta e apaixonante, ahhh como ela é apaixonante. Miles se apaixona perdidamente por ela, e o modo como ele a descreve quase fez eu me apaixonar também, os detalhes que John Green colocava no livro faz com que a gente sinta o que Miles sente, sério, Alasca é única.

"- Mas porque Alasca? 
Ela sorriu com um canto direito da boca:
-Bem, depois eu descobri o que significava. É uma palavra de origem aleúte. Alyeska. Significa "aquilo em que o mar bate", e eu adorei. Mas, naquela época, só conhecia o Alasca do norte. Era grande, como eu queria ser. E estava bem longe de Vine Station, Alabama, como eu queria estar."

O livro é dividi em duas parte: ANTES e DEPOIS.
Então começa 136 dias antes e vai seguindo até chegar no depois. 
E é ai que está a grande sacada do livro, você não sabe o porque desse contagem regressiva, e passa milhões de coisas na sua cabeça.
Acompanhamos a mudança do Gordo e as suas primeiras vezes:
Seu primeiro porre, seu primeiro cigarro, seu primeiro amor...

E a na página 141 chegamos no DEPOIS, e é claro que não irei contar aqui o resto do livro para não dar spoilers enormes para vocês, mas a história continua incrível.

O livro é apaixonante, você realmente vive o que eles estão vivendo e a escrita de Green é impecável, o melhor livro dele sem dúvida nenhuma. (Eu sei que eu já falei isso.)

A arte do livro publicado pela editora Wmf Martins Fontes é linda,
As três frases na capa resumem perfeitamente o livro todo:
O primeiro amigo
A primeira garota
As últimas palavras;
E o significado da flor na capa você vai descobrir no decorrer da história.
Capa linda, história magnífica.

A história flui muito bem, a expectativa e os mistérios faz você correr.
Vale muito a pena, muito mesmo.  





Leia esse livro e apaixone-se por Alasca.

Como eu tenho aquele costume, quero agradecer a minha sogra pelo livro, muito obrigada mesmo. <3


Avaliação:


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!