Maze Runner - Correr ou Morrer

Comentários

 




"O meu nome é Thomas"














No inventário dessa semana, demos a dica para vocês lerem o primeiro livro da saga Maze Runner.

Nesse momento estou lendo o terceiro livro "A Cura Mortal" e digo que essa distopia está sendo uma das minhas favoritas. 

Hoje irei fazer uma breve resenha sobre "Correr ou Morrer".
 Fiquei sabendo sobre a saga pelo filme, sim eu vi primeiro o filme, e logo depois de ler o livro já pude observar grandes mudanças na adaptação, mas de qualquer forma achei o filme muito bom, ultimamente depois de tantas adaptações estou me acostumando com as mudanças feitas, e não estou achando tão ruins como antes. (Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban foi a minha grande decepção em relação a adaptação :[ )

Farei uma resenha breve, tentando ao máximo não dar spoilers, já que se trata de uma saga e dependendo do que é escrito aqui pode acabar com a leitura desse e dos próximos livros. 
Beleza? Então segue a resenha:


"Ele começou sua nova vida pondo-se em pé, envolvido pela escuridão fria e pelo ar poeirento e rançoso.
Um tremor súbito abalou o piso sob os seus pés, metal rangendo contra metal."


O livro começa com o personagem Thomas sendo transportado dentro de uma caixa em um elevador subterrâneo até a superfície, onde ele chega em um vasto pátio cercado por quatro muros enormes de pedra cinzenta. As paredes pareciam ter mais de cem metros de altura e formavam um quadrado perfeito ao redor daquele espaço. Cada lado era dividido exatamente ao meio por uma abertura tão alta quanto os próprios muros. 
Mas ele não estava sozinho, Thomas foi tirado de dentro da caixa e recebido por pelo menos 50 meninos, de todas as idades, de todos os jeitos.
O lugar é chamado pelos seus habitantes de "Clareira", e os meninos se apresentam como Clareanos.

O livro traz um "vocabulário" próprio para certas palavras que os meninos usam, mas você pega elas rapidinho e acaba querendo usar no dia a dia.

Thomas e todos os outros meninos tiveram suas memórias apagadas antes de chegarem na Clareira, ninguém lembra da vida antes de serem levados pela "caixa", a única lembrança é o nome, e mais nada.

Então Thomas é apresentado à Clareira e às suas regras e deveres, cada menino tinha um trabalho para fazer: os Construtores, Aguadeiros, Embaladores, Cozinheiros, Cartógrafos, Socorristas, Desbastadores, Açougueiros, Corredores e etc.
Mas o que mais o intriga é o que tem do lado de fora dos grandes muros, um labirinto.



Todos os dias de manhã as grandes portas se abrem e os Corredores entram em ação, saem pelo labirinto tentando encontrar uma saída, tentando mapeá-lo, o que não é um trabalho fácil já que todas as noites depois que as portas se fecham as paredes se movem mudando toda a ordem do lugar. É proibido sair para o labirinto, a não ser que você seja um Corredor.
É aí que Thomas não entendo o porquê, mas ele tem certeza que ele deve ser um Corredor, que esse é o trabalho que ele quer seguir, mesmo depois de descobrir que habitando o labirinto existem os Verdugos, monstros enormes, com agulhas que injetam um veneno poderoso e que causa a chamada "Transformação", um processo doloroso e terrível, que somente a aplicação do antídoto pode salvar quem foi picado.



Nunca ninguém achou uma saída, nunca ninguém descobriu o porquê foram levados para lá, nunca ninguém teve a memória restaurada totalmente.
O livro traz muitos mistérios e isso me prendeu muito. Cada página acontece algo novo, que deixa mais um "por quê?" no ar. Eu só queria terminar o livro o mais rápido possível para ter as respostas para as perguntas, e isso que torna a saga fantástica, porque praticamente nada é respondido no primeiro livro, e quando você chega no final existe um "epílogo" deixando tudo mais confuso e intrigado, e é uma agonia boa que fica no ar.

Às vezes, é observado um besouro mecânico emitindo uma luz vermelha, com a palavra CRUEL escrito no corpo, o que todos concordam que eles são observados 24h por dia, mas por quem? O que é CRUEL?

Rapidamente todos percebem que a chegada de Thomas mudou tudo o que eles estavam acostumados.


"Rabiscadas no papel em grossas letras pretas, viam-se quatro palavras:
Ela é a ultima. "
Nunca ninguém sobreviveu ao labirinto depois que as portas se fecharam.
Até aquele momento.
Nunca tinha chegado uma menina à Clareira.
Até aquele momento.
Nunca o sol tinha desaparecido.
Até aquele momento.
Nunca os portões deixaram de se fechar a noite.
Até aquele momento.

O livro possui vários personagens, mas acaba afunilando para alguns. 
Thomas, Newt, Minho, Caçarola, Chuck e Teresa, essão são os nomes que você mais vai ler durante a leitura, e tenho certeza que alguns desses você vai ter um carinho especial.


 A leitura flui muito bem, só no começo até pegar quem é quem que às vezes tive que voltar e reler algumas partes, mas depois que você conhece os personagens a leitura anda rapidamente. Recomendo muito esse livro, vale a pena.








E como eu sempre gosto de agradecer a quem me ajuda sempre a ter cada vez mais livros, quero agradecer ao papai e a mamãe por terem me dado esse box completinho e lindo ♥

   
E ai? Preparados para entrar no labirinto?

Já leu a saga? O que achou?
Deixa a sua opinião.

Avaliação:







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!