Conheça Robin Cook

Comentários



Imagine um médico. Imagine um médico que queria ser arqueólogo. Agora imagine um médico que queria ser arqueólogo mas que também é escritor. Bem vindo ao cérebro mutante de Robin Cook.

73 anos e criador de uma nova categoria do suspense, Robin Cook desistiu da arqueologia e se tornou oftalmologista, dizendo com desdém que “todas as cidades antigas já haviam sido descobertas”. Ainda bem que ele não saiu procurando por aí mais alguma Atlântida escondida, pois graças à sua mudança ele conseguiu trazer as ânsias e os sofrimentos do ambiente médico para seus ávidos leitores.  O “Doutor Cook”, como é chamado, trouxe à tona questões cruciais como a ética médica e a biotecnologia em romances cada vez mais intrincados. Ele diz que escolheu a literatura como uma maneira de expor ao público problemas comuns, mas que não damos a devida atenção, como engenharia genética, economia médica, produção de drogas e transplante de órgãos



Mas quem disse que seus livros tratam apenas de questões médicas? O autor adora brincar com assuntos arqueológicos e tecnologia, além de explorar universos paralelos e alienígenas. Ele se compara a Sidney Sheldon quando percebemos os altos e baixos dos seus livros: enquanto alguns nos prendem e rezamos para não terem fim, outros são superficiais e com enredo tão acelerado que nem nos apegamos aos personagens. Mas não é à toa que Cook conseguiu emplacar 28 livros na lista dos best-sellers do The new York Times e ter suas obras traduzidas em mais de 40 línguas.

Falando ainda em vitórias, o seu primeiro livro de sucesso, “Coma”, recebeu até uma adaptação para o cinema em 1978, além de séries como “Invasão” pela NBC em 1997.


Confira a lista de alguns dos seus livros:

1977 – “Coma”
1981 – “Cérebro”
1982 – “Febre”
1993 – “Terminal”
1995 – “Contágio”
1997 – “A Invasão”
1998 – “Toxina”
2000 – “Abduzidos”
2010 – “Cura”
2013 – “Nano”
Prev. 2014 – “Cell” – Título em Inglês



Você irá acompanhar alguns de seus títulos nos próximos posts, é só ficar ligado!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pelo comentário!